Mentiras por desamor: o que pode estar gerando este comportamento?

Neste artigo iremos continuar nossa busca sobre os mistérios que envolvem o ato de mentir. No post passado falamos sobre os perigos das mentiras por amor, agora abordaremos as mentiras por desamor, ou seja, aquelas que realmente têm o objetivo de enganar e ludibriar o outro.

Essa é a grande questão a se responder: Por que mentimos?

Se, em sua relação, você tem enfrentado esta dura realidade, leia até o final, pois talvez encontre algumas importantes respostas e dicas sobre como lidar e eliminar esse comportamento, de uma vez por todas, de sua vida.

Lembre-se: respire fundo, acalme-se, abra a mente e o coração antes de começar a ler, para que sua leitura possa realmente lhe trazer bons frutos de aprendizado e transformação.

mentiras

Antes de começarmos é importante esclarecer que já existem estudos que consideram o comportamento de mentir, constantemente, um transtorno psicológico. Apesar de ainda não constarem nos manuais de classificação de doenças e transtornos mentais, devemos ter cuidado, pois podemos estar falando de uma doença. Portanto, antes de condenar, certifique-se de que não é este o caso. Pesquise sobre mitomania e mentira patológica (cuidado com as fontes!). Se perceber que os sintomas condizem, procure ajuda profissional imediatamente.

Descartando essa hipótese, podemos começar a mergulhar e tentar entender mais a respeito deste mundo de mentiras por desamor, que são aquelas ditas realmente para enganar o outro. Vamos avaliar os estragos que essa forma de comunicação pode provocar em nossas relações.

Na maioria dos casos que chegam ao consultório, quando a queixa é a mentira, observo que não são tão graves, porém frequentes. Nessas situações, o que vai acontecendo é que a atitude de “enrolar” o outro com inverdades vai minando, gradativamente, o amor e a união do casal.

O ambiente de segurança e confiança, torna-se aos poucos pesado e cheio de dúvidas, fato que, mais cedo ou mais tarde, poderá ser o motivo do fim da relação.

Cada mentira descoberta, seja grande ou pequena, é como uma semente de desconfiança que será plantada na vida do casal e que necessitará de enorme esforço para ser arrancada depois. Se não for, poderá destruir definitivamente a convivência saudável entre eles.

O grande problema é, uma vez que a confiança é abalada, torna-se muito difícil reconquistá-la. Por isso, por mais complicado que seja, dizer a verdade ainda é a melhor opção.

verdades

Algumas vezes, a verdade parece ser muito dura para ser dita. Por exemplo, quando você quer fazer algo e sabe que seu companheiro(a) não concordará e ficará muito irritado e reclamando: jogar bola, sair com amigos, chegar um pouco mais tarde, fazer uma viagem sem ele(a), um curso, um trabalho, etc.

Enfim, nessas horas, parece ser mais simples mentir, para evitar conflitos, pois corre-se o risco de decepcionar e magoar o outro.

Leia também: Verdades ocultas: aprendendo a dizer o indizível. Ferramenta especial para saber expressar suas verdades mais difíceis!

Porém, por mais que a verdade naquele momento não seja tão agradável, ela sempre deixa aberta a possibilidade de debates, discussões e, principalmente, soluções. Pode até ser que machuque, mas sempre haverá grandes chances de recuperação.

Contudo, uma mentira quando é descoberta, é como uma bomba que explode e não deixa nada inteiro, tudo fica destroçado e praticamente impossível de ser reconstruído.

A verdade às vezes dói, mas a mentira destrói!

Portanto, sempre escolha a verdade! Pois, como já dizia minha avó e avó dela: “mentira tem perna curta”. É algo profundamente insano e que detona qualquer possibilidade de se construir um relacionamento saudável. Quem se comunica desta forma, só tem duas alternativas: ou muda, ou fica sozinho.

Todavia, quero agora lhe contar um caso que atendi e me fez enxergar uma outra perspectiva sobre esse assunto.

Os pais me trouxeram uma jovem de 11 anos, com a queixa de que mentia muito e eles não sabiam mais como lidar. Iniciamos as sessões e aos poucos aquela menina começou a confiar em mim e se abrir.

Quando isso aconteceu pude perceber o quão duros, críticos e fechados eram aqueles pais. Eles nunca a ouviam ou buscavam saber o que ela pensava e vivenciava em sua vida, apenas impunham comportamentos, sem explicar o porquê.

Sempre que algo acontecia em sua vida, que tinha alguma dúvida sobre o que era certo ou errado e ela tentava conversar com eles, levava uma bronca, apanhava ou ficava de castigo. Com isso, ela foi se fechando em seu mundo e desistindo de falar.

E o pior, como sempre levava bronca e tudo era proibido, até mesmo pensar e ter as dúvidas que ela tinha, então aprendeu que a melhor saída era nunca contar nada e se fosse questionada, criar alguma estória falsa para evitar os conflitos.

Nessa época, aprendi que muitas vezes a resposta para a pergunta: “Por que mentimos?” pode estar contida dentro de uma outra pergunta: “Existe espaço para a verdade?”

silencio

Isso mudou muito minha forma de encarar todos aqueles que eu via mentir a minha volta. Ao invés de julgar e condenar, comecei a me perguntar: “Será que essa pessoa teve realmente a oportunidade de falar o que pensa e ser ouvida e aceita como é?”

Pense sobre isso em sua vida. Se tem alguém que frequentemente mente pra você, essa pessoa é aceita por você como ela é? Com todas as suas crenças e valores?

Muitas vezes nos sentimos donos das pessoas, principalmente aquelas que mais amamos, queremos que elas façam e sejam como mandamos e não como são. E a consequência pode ser que ela passe a mentir por não querer nos desagradar.

Ninguém é dono de ninguém. Portanto, reavalie seus comportamentos sempre, antes de condenar o outro.

Aproveito para lhe fazer agora uma pergunta para começar a despertar suas reflexões mais profundas para o próximo artigo: “Você ama realmente seu parceiro(a), ou ama aquilo que ele(a)  faz – ou deveria fazer – por você?”

É triste e vou ser dura, mas a verdade é que frequentemente vemos e tratamos o outro apenas como “propriedade” nossa, sem direito a escolhas! Impomos tanto o nosso querer, que pode acabar tornando-se mais fácil simplesmente mentir.

Já atendi inúmeros casais em que era praticamente “impossível” dizer a verdade, tamanha imposição de um sobre o outro naquela relação. Porém, impossível entre aspas, porque por mais difícil que seja, sempre temos opção!

Eu sinto muito se não está gostando do que lê aqui, mas preciso lhe mostrar essa infeliz realidade. Procure dar espaço ao ser do outro, abra-se a comunicação verdadeira entre vocês, aceite críticas ao seu modo de agir e talvez, como consequência da abertura, você colha os frutos da verdade em sua relação.

Acredito que uma das respostas mais importantes para aquela pergunta que fizemos no início: “porque mentimos?” seja: Nossas mentiras podem ser apenas uma consequência de nossa falta de capacidade para escutar algumas verdades!”

De forma alguma quero tirar a responsabilidade de quem escolhe mentir, aliás, quero ser bem dura com quem prefere esse caminho também. Quem opta pela mentira, infelizmente está sendo covarde. Não tem coragem de enfrentar e ser quem realmente é.

frase sobre mentiras

Por hoje é isso querido amigo! Espero de coração que essas reflexões possam de fato acrescentar e lhe trazer novas possibilidades de pensar, ser e agir. E que as mentiras se dissipem cada dia mais de suas relações e de sua vida!

“Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará!” – Jesus Cristo

Se gostou compartilhe e assista também o vídeo em nosso canal no You Tube!

Grande abraço e até mais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.