Violência e agressão nos relacionamentos. Como evitar?

Nesta última semana, a mídia não parou de divulgar o fato ocorrido com a modelo e atriz Luiza Brunnet, que revelou ter sido agredida fisicamente pelo ex-namorado, o empresário Lírio Parisotto.

O empresário, por sua vez, nega as acusações, alegar ter se defendido e diz já ter sido agredido inúmeras vezes por ela. Em uma das ocasiões, teria sido necessário 10 pontos para fechar um corte provocado por uma agressão.

Independente das verdades ou mentiras que podem ou não estar sendo omitidas nesse caso, sobre uma questão não existem dúvidas: ambos estão vivenciando uma situação terrível, desagradável e muito triste, gerando um enorme desconforto e sofrimento intenso.

Quero, então, aproveitar o momento para refletir e aprofundar um pouco mais sobre esse assunto tão delicado, muitas vezes encoberto, e que, todavia, é mais comum que imaginamos:

Violência e agressões nos relacionamentos.

Por que, infelizmente, as agressões acontece com frequência?

 A agressão acontece somente quando parte para ataques físicos?

Como evitar?

 agressão casal

Por que as agressões acontecem com frequência nos relacionamentos?

Primeiramente, é necessário entender que a existência de conflitos nos relacionamentos é natural, eles fazem parte de toda relação saudável, visto que somos seres diferentes e pensamos e acreditamos em coisas diferentes.

 Clique aqui e veja um artigo onde falo sobre os conflitos na relação!

O verdadeiro problema começa quando não conseguimos resolver essas diferenças e eles vão se tornando cada vez maiores e mais complicados. A dor e o acúmulo de situações não solucionadas tornam as discussões entre o casal cada dia mais exaltadas e cheias de extrema irritabilidade.

Veja, as brigas são normais! Conflitos, diferenças de crenças e pensamentos sempre vão existir. Costumo dizer aos casais que me procuram no consultório para uma terapia ou para o curso Felizes para Sempre... : “A única coisa que vocês precisam aprender é a brigar!”

Sim! Não se assuste!   :D

Brigar entre aspas! No sentido de conversar, dialogar, debater sobre os desacordos até encontrar uma solução e aprender algo novo. No sentido de ter a coragem de olhar para o que não está bem na relação e encarar, não “varrer para debaixo do tapete”, como a maioria dos casais fazem.

Veja como dialogar assertivamente desenvolvendo a escuta!

Brigar para mudar, para crescer e nunca para ferir ou machucar o outro, nem psicológica e nem fisicamente.

Temos que aprender a transformar nossas brigas em momentos de busca de solução e superação de conflitos e não em momentos de agressões, maus tratos, gritos e xingamentos.

Não podemos perder o respeito, o que provavelmente irá gerar enormes feridas, podendo culminar, então, nas terríveis agressões: verbais, emocionais e físicas.

E é justamente por isso que as agressões físicas acabam se tornando tão frequentes: não sabemos resolver e superar nossos problemas! Vamos acumulando conflitos e nos tornando praticamente como bombas-relógio que podem explodir a qualquer momento, a qualquer novo estímulo desagradável.

Uma agressão física é, muitas vezes, apenas o reflexo e o resultado de um processo contínuo de desrespeito entre o casal e de um excesso de agressões verbais e emocionais que já vinham afetando enormemente a relação.

Não permita que vocês se agridam e percam o respeito um pelo outro. Esse é um caminho sem volta ou, pelo menos, muito difícil de retornar quando já foi longe demais.

Só para lembrar, existem sim situações em que a agressão física faz parte de um relacionamento patológico, repleto de transtornos mais graves. Mas, aqui, não iremos abordar esses casos, em que tudo é diferente e bem mais complicado.

Estamos falando somente de relacionamentos em que eu posso fazer a pergunta: “Vocês já se agrediram alguma vez?” E ter a certeza de que a resposta será: “Sim”, na grande maioria dos casos.

A agressão acontece somente quando parte para ataques físicos?

agressao-verbal

Antes que uma agressão física chegue a acontecer entre o casal, é comum que eles já venham se agredindo fortemente de forma verbal e emocional.

Já atendi vários casais, em que os insultos verbais eram tão cruéis que eles mesmos chegaram à conclusão que as palavras doíam mais que alguns “tapas” que haviam trocado.

Triste realidade! Não podemos permitir que nossas relações cheguem a esse ponto!

Parem, antes que seja tarde, como no caso dos famosos que citamos acima.

Uma agressão física é, muitas vezes, apenas o reflexo e o resultado de um processo contínuo de desrespeito entre o casal e de um excesso de agressões verbais e emocionais que já vinham afetando enormemente a relação.

FIQUE ALERTA!!!

agressão

Outro aspecto importante sobre as agressões, que acontece com frequência e vale a pena relatar para ficarmos atentos, é um alerta para nós, mulheres.

Por sentirmos segurança e confiança de que um homem de caráter jamais levantaria um dedo para nos agredir, vamos “insultando”, por assim dizer, nossos companheiros com palavras e, até mesmo, com pequenas agressões físicas, como unhadas, mordidas, beliscões…

Porém, pode acontecer que, algum dia, esse homem perca a paciência e revide, ainda que de forma branda. Claro, fazemos aquele drama!

Com toda certeza nada justifica a violência ou a agressão. Seja de que forma for, nunca é o melhor caminho! Mas, fica o questionamento: quem começou o desrespeito? Preste atenção nisso!

Atendi um caso em que a mulher chamava o esposo de “corno”, “banana”, “burro”, “incompetente” e outras coisas piores. Partia sempre para cima dele com tapas e unhadas. Um dia, ele revidou, a machucou e eles foram parar em meu consultório.

Que lição você tira disso!?

Como evitar?

Para finalizar e entender como evitar, vamos recapitular a sequência dos fatos:

Diferenças culturais naturais vão gerando os pequenos conflitos.

seta

Esses, se não resolvidos, vão se acumulando e gerando problemas cada vez maiores e aumentando a irritação e a angústia.

seta

Começam a surgir as agressões verbais e emocionais, que vêm com um alto grau de tristeza e raiva.

seta

As brigas tornam-se mais tensas e descontroladas e o próximo passo poderá ser o início de agressões físicas.

Visualizando o quadro acima, temos a resposta para nossa pergunta inicial: Como evitar as agressões físicas? Prestando atenção e rompendo este ciclo antes que chegue ao final.

Temos várias formas de fazer isso:

  • Prestando atenção aos problemas para não deixarem se acumular: lendo livros, frequentando terapia, fazendo cursos, etc;
  • Ficando alerta durante as discussões para não permitir que ultrapassem o limite do respeito;
  • Evitando a todo custo as agressões verbais;
  • Evitando o diálogo quando os ânimos estão exaltados, etc.

Enfim, preste atenção em cada um desses aspectos e jamais permita que seu relacionamento avance em direção a esse tipo de comportamento!

Cuide de seu amor!

Abraço e até a próxima!

4 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

:D :-) :( :o 8O :? 8) :lol: :x :P :oops: :cry: :evil: :twisted: :roll: :wink: :!: :?: :idea: :arrow: :| :mrgreen: