Conheça e aprenda com essa linda e verdadeira história de amor!

“Ainda há brigas, ainda há aprendizagem, ainda há diferenças… Mas agora sobram paciência, tolerância, compreensão e, principalmente, amor.”

Amanda

Olá, querido amigo leitor! O Dia dos Namorados já passou, mas nunca é tarde para falar de amor, não é mesmo?

Então, em homenagem a esse mês de tanto romantismo, quero compartilhar com você uma linda – e verdadeira – história de amor!

Essa história chegou até mim por meio de um concurso, em que fui convidada a ser jurada e selecionar o mais belo caso de amor. Tocou-me profundamente a forma concreta e prática com que foram vistas e enfrentadas as diferenças naturais que ocorrem em toda relação.

Espero que você também aproveite essa narrativa e passe a avaliar suas diferenças e desencontros sem medo, aprendendo que com esforço e dedicação é possível superá-las e crescer cada dia.

Agradeço aos amigos, fotógrafos excepcionais, Thiago e Anna, que me oportunizaram participar desse momento único. E um obrigada muito especial a esse casal por terem nos dado o privilégio de conhecer e aprender muito com sua história!

Boa leitura!

Amanda e Ítalo

“Essa não é a história de conto de fadas, pelo contrário, ela se parece mais uma história de anti-heróis, anti-contos de fada. É realidade pura, com brigas, atritos e problemas, mas, em contrapartida, cheia de superação, realizações e felicidade adquirida. Ela pode não ser a mais bonita, mas sem dúvida é a mais surpreendente. É uma história complicada, mas que pelo amor e a vontade de fazer dar certo, ela deu… e deu muito certo.

Era final de verão, quase início de outono, no mês de maio de 2008. Amanda era uma estudante do ensino médio, vestibulanda.  A casa dela passava por uma reforma e ela, por ansiedade, resolveu ligar os cabeamentos do computador sozinha… não deu outra, queimou a CPU. O final da reforma não tinha previsão e ela não ficaria sem seu acesso diário, ou pelo menos semanal, à internet. Perto de sua casa, algumas quadras acima, havia uma lan house.  O dono do estabelecimento era irmão de Ítalo.

Ítalo era um jovem universitário, acadêmico do curso de Direito. No seu tempo livre, geralmente no período vespertino, trabalhara na lan house. E aí que começa a história de Ítalo e Amanda.

Em um final de tarde qualquer, voltando da manutenção ortodôntica, Amanda resolveu passar na lan house para acessar suas redes sociais. Em menos de uma hora de acesso começou uma forte chuva, a qual perdurou até o final do seu tempo pago. Amanda e Ítalo nunca tinham trocado lá grandes conversas, apenas olhares e cumprimentos. Com a chuva forte, Amanda preferiu não descer até sua casa e resolveu esperar a chuva passar. Ítalo, como um bom galanteador, resolveu puxar conversa e conhecer mais aquela mocinha, até então, recatada.

Conversa vai, conversa vem, a chuva não parava, Amanda friorenta… Ítalo pediu um abraço despretensioso (ou não), Amanda inocente (de verdade) deu. Abraço forte, quente, aconchegante… Não tinha como negar isso à oportunidade, Ítalo roubou um beijo (muito bem dado) dela.  Foi um beijo marcante, no entanto não muito demorado. Quando terminou, Amanda ficou sem graça. Sem saber bem o que dizer ou como agir, resolveu ir embora com chuva e tudo, deixando Ítalo ter certeza que ela era diferente de todas as outras jovens que ele já havia conhecido.

Com o passar do tempo, ela continuou frequentando a lan house, mesmo sem saber como agir, ou até mesmo sem saber o que ela queria, ela ia. Chegava lá os dois olhares que guardavam um segredo se cruzavam e logo abriam um sorriso de canto de boca e até de boca toda.  Amanda não podia dar bobeira que ganhava um beijo, meio escondido, às vezes na trave, outras de goleada, mas, sempre velados.

A partir disso, eles se adicionaram em suas redes sociais e de forma sutil mantinham contato. Nunca havia sido nada sério, nunca havia sido marcado ou combinado. O glamour, o frio na barriga,  o êxtase estava no inesperado, na surpresa. Ítalo até tentou algum encontro, saída formal com Amanda, mas ela tinha outros planos e nunca aceitava, até que por “destino” eles se afastaram. A reforma chegou ao fim e até ele parou de trabalhar na lan house.

Ítalo começou a namorar, Amanda começou a se enrolar. Amanda passou no vestibular, Ítalo começou a estagiar. Um acompanhava o outro na internet e de vez em nunca se falavam. Esporadicamente se viam dentro de um ônibus ou se esbarravam em um shopping. Não tinham telefone um do outro e muito menos sabiam onde cada um morava. Ainda não era paixão, muito menos amor, mas era diferente… fazia frio na barriga e batucada no coração, esses esbarrões.

Passado mais algum tempo, os dois desceram juntos no mesmo ponto de ônibus (se eu acreditasse em coincidência, eu diria que foi puro acaso) e vieram fazendo o mesmo percurso em direção às suas casas. Os dois já estavam mais velhos, mais vividos e com mais assuntos para conversar foram conhecendo mais um ao outro. Não teve jeito, na despedida Ítalo enlaçou a Amanda e agora, consentido, se beijaram.

A cada beijo era uma identificação. Ítalo tinha muito cuidado em como tocar Amanda, ele sabia que ela era diferente (Ela podia sair correndo e ir embora de novo rs). Mais uma vez eles foram embora sem nenhum vínculo. Eles moram em apenas uma quadra de diferença e em quase 30 anos morando no mesmo lugar, não sabiam desse incrível acaso.

De tempos em tempos se encontravam, no terminal, na rua, dentro do ônibus… e sempre, sempre se beijavam. Era um encontro de almas. O beijo já era natural, esperado e almejado.

Após quatro anos de beijos sem compromisso, ambos formados, adultos feitos e bem sabidos de suas vontades, eles se encontraram em um encontro marcado. Em pleno inverno de 2012, pode-se dizer que eles, de fato, se conheceram. Foram horas de conversa, de risada, de carinhos e beijos. Noite de confirmação de que valeu a pena se conhecerem. Noite de virada da vida deles. Foi o Deus, a vida, o destino enlaçando a vida dos dois.

Não, não foi aí que eles se assumiram. Não era tão simples. Amanda é evangélica. Ítalo é católico. Amanda é mais esquerdista. Ítalo é da direita. Amanda sente frio com um sopro. Ítalo sente calor com 18 graus. Amanda é de câncer. Ítalo é de aquário. Amanda é romântica. Ítalo é prático. Mas em uma coisa os dois são iguais, ambos são topetudos. Só por vontade perfeita de Deus para esse romance dar certo.

Foram anos muito difíceis, porém muito necessários. Hoje é possível ver que eles estão juntos por plano e propósito Divino. Até, de fato, se assumirem foram mais três anos. Anos de serem moldados. Tempo de provar para famílias e amigos que eles valiam a pena. Tempo de conquistar as sogras (rs).

Tempo de quebra de paradigmas, de aproximação de Deus e de distanciamento de rótulos. Tempo de aprendizagem com as diferenças, de aprender que dá para encontrar uma temperatura agradável para os dois. Tempo de aprender a levar o romantismo com mais praticidade, de ser prático sem perder o romantismo. Tempo de entender que política é ponto de vista e de entender que Deus é só um. Enfim, eles tiveram todo o tempo e provação possível para terem a certeza que se querem e por meio de atos, de modo de vida, reconquistarem a credibilidade das pessoas.

No dia 08.01.15 eles se assumiram para nunca mais se separarem. Ainda há brigas, ainda há aprendizagem, ainda há diferenças… Mas agora sobra paciência, tolerância, compreensão e, principalmente, amor. Eles se amam e isso não é segredo para ninguém. Não há quem duvide disso.

Quando é da vontade de Deus nada e nem ninguém consegue mudar.

Com um ano e meio de namoro e nove de história, eles estão planejando se casar. E com fé em Deus e as bençãos dos pais, logo logo essa história ainda terá muiiiiito a contar.”

E essa é a linda história de amor entre Amanda e Ítalo!

 Se você gostou deixe seu comentário para este casal e compartilhe!

Grande abraço e até mais!  😀

4 Comentários


  1. Q essa união seja Abençoada por Deus ♡
    Felicidades ao casal! Linda história!

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.